sábado, 14 de novembro de 2009

Pra você

Me deixa ser sua poesia, sua fonte de inspiração.
Esquece todo o resto, e o que te parece estranho;
Posto que é seu perfume que me deixa assim,
Tão fora de mim, sem saber o que eu perco e o que eu ganho.
Gosto de você, gosto de te admirar,
Me sinto infinita, diante do brilho e do mistério que vem
por trás da perfeição dos seus olhos castanhos.

13 comentários:

Erica Vittorazzi disse...

ah, como eu já quis ser a poesia de alguém de olhos castanhos...

Desmanche de Celebridades disse...

Concordo com seu comentário no Desmanche. Seria a minha critica às novelinhas do Manuel Carlos.

Sobre o seu texto....é isso ai, se entregue sem medo, mas com limites é claro.

Abraços.

Marcelo Mayer disse...

e na imperfeição que nos apaixonamos

Cristiano Contreiras disse...

Intensa você, gostei da proposta do blog. Seguirei!

Bê Matos disse...

Pra além do infinito, é a direção do amor, Heloísa. :)

lindo, beijo.

E.Suruba disse...

é amor?

Faninha disse...

Gataa, poesiiiia é como sonhoss...
desejos reprimidooos!!
Felicidadees!
vireei seguidoraa
Beijooos!

Anônimo disse...

Sempre admirei as pessoas que têm o dom da poesia.
Uma boa semana para você!

Leandro Martins disse...

Oo, boa escritora viu? olhos castanhos são os meus - lálálá
bjs

Fernanda. disse...

Também já quis muito ser a poesia um certo alguém.

Fernanda. disse...

Também já quis muito ser a poesia um certo alguém.

Fernanda. disse...

Também já quis muito ser a poesia um certo alguém.

Deni Maciel disse...

fikei aki pasmo imaginando a trok d olhares dessa apaixonite amorosa aguda.
o//
uma ótima quArta.
e o natal está chegando... o dia 20 de novembro tbm...e uma pergunta q não quer calar...
seria saci perere o papai noel africano?
e o papai noel do polo norte das neves ¬¬ [pronto desabafei]
eeeeeeim.....
abraçooOOoooOo