quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Poema de ninguém -

Estou voando tão alto, a ponto de tocar o céu,
Estou tão vazia, que absorvo tudo que há por aí,
Tão triste, que a melancolia não cabe em minha poesia,
Tão feliz, que sorrir não é suficiente,
Mas me sinto tão esperta, que até te julgo inocente...

Por não ter percebido que a vida é para os espertos,
Para aqueles que sabem viver,
E que ao contrário de mim,
Não se fecham em casulos,
Não ignoram as metamorfoses,
E também não se calam na eternidade dos versos.

6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

se este poema foi pra ninguém, roubo ele então para mim. eternidade dos versos ficou FODA demais.

e tb não saio de sampa por nada

gabs . disse...

Heloo, que poema lindo, delicado e profundo!
Queria mesmo ter o dom dos poemas.
Vir aqui é sempre um prazer,
Beeijos :**

Erica Vittorazzi disse...

Heloísa, a vida também é para àqueles que se expressam através de poemas.


E quem não entende é que está em um casulo.


beijos

Desmanche de Celebridades disse...

Lindo poema.
Acreditar na eternidade das coisas é muito perigoso. Tentar tornar cada momento em eterno é mais viavel.....assim quem sabe a eternidade chega de fato.

Abraços.

Bê Matos disse...

Os versos falam por nós, Heloísa.
Deixam as pessoas nos conhecerem melhor..

Nunca nos trancam, do mundo.
Foi lindo, sabia? :)
Beijo

Leon K. Nunes disse...

Po Heloísa, a vida é uma merda sabe, a gente pode lamentar por qualquer coisa, a gente pode lamentar por isso aí, por se fechar em casulos, deixando-a passar sem que percebamos; a gente pode reclamar pelo contrário, por tentar vivê-la demais, até perceber que na verdade isso não faz sentido algum.... a vida é uma eventualidade cósmica, um acidente de trajeto do Universo, a gente tá aqui e pode tentar aproveitar isso de alguma maneira, mas o fato é que não ganhamos nem perdemos nada com isso, há algumas aventuras nas quais podemos nos enveredar, mas os que o fazem irrefletidamente são justamente aqueles que não percebem o vazio que nos cerca......