segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O delírio do astronauta.

E aqui do espaço, a vida passa.
Passaram também as lembranças.
Do outro lado da janela, tem um mundo.
Cheio de histórias. Histórias perdidas...
Tem a rua, que conhece cada passo que você deu.
Mas nem a Lua é capaz de descrever o que aconteceu.
Um eclipse, ou só mais um delírio.
Uma história que daria um livro.
Uma busca louca, tensa, melancólica e ao mesmo tempo inútil;
Pela estrela sem nome, cuja face não me some.
Talvez só mais uma peça que a vida pregou,
Ou simplesmente, um momento inesperado, mas que já passou.
Posso ver a multidão, tomando conta de tudo, transformando tudo em nada.
Um erro da vida. Um tiro no escuro.
A estrela sem nome, do rosto sereno, jogou o astronauta num buraco sem fundo.
Talvez já tenha acabado,
Ou quem sabe só começou.
A vida daquele humano solitário, a estrela mudou.
Naquele momento, o sorriso do astronauta atingiu o seu ponto máximo de luz;
Mas logo após, se apagou.

10 comentários:

adenilson disse...

eu jah ouviii num sou surdooooooo
xD~
ir pra lua ou desejar ir pra lua
traz as mentes das pessoas uma poeticidade aguçada eim..
mas tbm..imagina só o fato de pisar em terras extraterrestres *-*
sensacional...tem q motivar as mentes mesmo
lindo*-*

abraço
ótima semana
e "o campeão voltooou...o campeão voltoooou...."
feliz dia do controle remoto de ar condicionado.
www.bocadekabide.blogspot.com

Lethicia Lavezo disse...

aah querida, ainda bem que tudo passa ;D
eles se separaram a algum tempo, acho que o suficiente para mim poder encarar isso de cabeça erguida.
Você acertou em partes, era me referindo a uma 'partida' também, a do meu namorado :/ mas deu certo para o meu pai também, que acabou tendo que ir, sem poder escolher.

aah, adorei mesmo aquii ;D
tô seguindo
=**

Duanny!. disse...

Que lindoo!

ameei *--*

Anônimo disse...

A efemeridade do tempo às vezes assusta! Vc escreveu um texto bem complexo, que fala por suas entrelinhas, e descreve coisas que talvez somente vc possa entender... mas devo dizer que poucas pessoas conseguem escrever assim, intrinsicamente, de dentro pra fora, de modo a deixar várias interrogações em cada fonema!

Muito bom, parabéns!

Soraia Alves disse...

Adorei!

Thais Monteiro disse...

Oiii!
Parabéns pelo blog,adorei!
Já te linkei no meu .. se puder me linkar, te agradeço! Aproveite passe para ver as novidades!
http://mimosdatata.blogspot.com
Beijinhoss

Thais Monteiro disse...

Oii.. Estou promovendo um sorteio de inauguração do meu cantinho. Da uma passadinha por lá quando puder e participe!

http://mimosdatata.blogspot.com/

Beijinhos e boa sorte!

Fernanda. disse...

Ah...
acende a Luz de novo vai. Conta uma piada para o astronalta! uhshs

"Tem a rua, que conhece cada passo que você deu.Mas nem a Lua é capaz de descrever o que aconteceu."

PUTS, adorei isso!

Beijão.
Luz à tua vida também!

Leon K. Nunes disse...

A lua faz só uma ponta nesse texto, mas, mais uma vez, consegue ser parte de uma bela alegoria, tão carregada, tão imaginativa, e são coisas que eu nunca faria, acho que nunca escreveria sobre a lua e sobre as estrelas porque não conseguiria fazer como poetas e poetisas que conseguem extrair delas palavras e sentimentos, imagens, ideias, lembranças, os astros existem no meu imaginário, mas somente lá - nunca os teria a meu serviço, ao escrever; sou terreno demais. O que não quer dizer que não estejam ao serviço de outros que se aventurem nessa e - como você - escrevem textos de interpretações tão diversas e intensas.

Que a escuridão caia, que a estrela sem nome volte a brilhar, e traga o astronauta do buraco sem fundo - porque as luzes são eternas.

Um beijo!

HSLO disse...

Gostei muito do blog viu...já sou um seguidor, voltarei outras vezes.


Vou te linkar aos meus favoritos.


abraços

Hugo