sábado, 11 de julho de 2009

Chuva chata, chuva ingrata

Hoje é mais um daqueles dias em que eu olho pela janela e vejo chuva.
Não gosto de chuva, chuva é chata e dá um tom melancólico pra árvore Quaresmeira florida que eu tenho na calçada de casa.

A chuva só se torna engraçada na porta da escola, quando as meninas sobem a rua gritando com a mão no cabelo; fora isso a chuva é estúpida.

Há quem diga que a chuva "lava a alma". Mas pra mim ela sempre foi inspiração pra escrever coisas tristes, coisas que a gente não gosta de falar. Tipo velório.
A chuva é ingrata, vem qdo a gente não quer. Quando a gente precisa dela, cadê?

Queria lutar contra a natureza, e dar um jeito pra essa chuva boba não miar meu sábado. Chega a ser frustrante saber que não posso fazer nada. Hoje é sábado, eu podia estar passeando com a turma, ou em um dos passeios estranhos em família que geralmente fazemos aos sábados. Tipo quando meu pai levou a gente pra pescar siri, e devido a minha aversão ao bichinho, acabamos o dia no Guarujá.

Mas a chuva tem que estragar tudo. Tem que deixar meu dia com cara de cinza. Tem que deixar meu corpo com sensação melancólica. Tem que deixar minha alma meio triste.
Até porque eu tenho trabalhado na teoria de que tudo que é ruim acontece em dia de chuva. Pode parecer estúpido, mas nunca participei de enterro com o tempo aberto, por exemplo.

Não quero mais falar de chuva. Já estou com vontade de gritar.

Como dizem as sábias palavras cantadas por Dinho Ouro Preto:
"Se meu corpo virasse sol, se minha mente virasse sol;
Mas só chove, chove. Chove e chove."




Peço desculpas pela postagem, que eu denominaria idiota,
mas se eu não falasse sobre chuva, acho que teria um ataque :]

2 comentários:

Leon K. Nunes disse...

Fale sobre o que quiser, baby, o blog é teu e os teus visitantes que se adaptem a ele né, hehehehehe.... eu também tenho esses acessos sabe, uma obsessão de querer escrever sobre algo e fico pensando, "pô mas isso não interessa, tem nada a ver", mas termino colocando lá (ok, na verdade eu nem sempre coloco rs)....

D'qualquer maneira, sabe, eu também acho chuva um problema... aliás, eu até gosto em parte porque, como 'cê sabe, eu tenho uma alma bem melancólica e chata né, e um cara chato com um clima chato é um prato cheio rs... mas tem muitas vezes que incomoda mesmo, a impossibilidade de sair realmente é um negócio complicado... mas isso aí de velório hein, nem sempre bate, no meu caso todos os que eu fui foram em tempo bom.... será que há um recurso transcendental por trás desses velórios?!, acho muito estranhas essas loucas coincidências, hehehe...

No mais, é isso... valeu pelos comentários lá no blog, e não se incomode com isso que o blog faz (mostrar quem você realmente é). Isso é algo bom, as pessoas hoje têm muito medo de se mostrar, é bom ver que tem gente autêntica por aí... e tu não é tão porre quanto parece rs.. Um beijo!

Heloísa Vilela disse...

Ôô Leon, brigada :)
É, esse negócio de ser autêntico realmente é assustador. Mas é o que eu postei lá no teu blog, ngm consegue esconder 100% do que é.
Brigada pelo coment, espero que seja um leitor adaptado ao que eu escrevo, baby rsrs
Beijo