quinta-feira, 16 de julho de 2009

Círculos

Essa coisa de ser diferente já está me deixando encabulada.
É um tal de escreve-apaga que até me irrita. Fico aqui tentando escrever o que eu estou sentindo, mas sem querer me expor e ainda assim tentar fazer as pessoas entenderem e concordarem com o que eu escrevo.
Sim, concordarem, pois morro de medo de críticas. Não é questão de ego, de arrogância e nem de nada disso. É covardia mesmo.
Na verdade, me espanta o fato de eu estar aqui, escrevendo sobre ser tão covarde em alguns aspéctos.

Vencer os meus medos; sim, a vida inteira todas as pessoas do mundo dizem isso pra mim.
E não desmerecendo os conselhos, até porque eu gosto deles, mas dificilmente vou obedecê-los. Fato é que vou com certa frequência ao Playcenter, por exemplo, mas nunca havia brincado em nenhum brinquedo além do Splash. Por anos fui "fotógrafa" e "seguradora de mochila" oficial dos meus amigos. Minha desculpa? Aponto pra placa de restrições e digo: viu, tenho aerofobia!
Vencer os meus medos; foi uma das primeiras coisas que escrevi na minha lista de metas para 2009. Dessa vez eu cumpri. Semana passada, após pagar o mico de ver meu irmão de 10 anos brincando em tudo, subi no Evolution. Primeira e última vez. Não, não sofro de aerofobia (e que meus amigos não leiam isso). Mas essa sensação de estar caindo é horrível pra uma pessoa que não troca por nada a segurança de ter os dois pés no chão.

Mas não é esse tipo de medo que mais me atormenta. O medo de cair literalmente é o de menos.
Ruim mesmo é ouvir a verdade, é aceitar que mudanças são necessárias.
É parar de fugir desses tópicos de comunidade do orkut, que dizem, "a 1ª impressão que vc teve da pessoa acima". É parar de ter ataque quando minha mãe (oh!) muda a mesa da cozinha de posição. É não conseguir ouvir as críticas (mesmo as construtivas) de cabeça baixa.
É ter tanto medo do que pode acontecer, a ponto de preferir viver presa na rotina. É não saber como dizer dessa fraqueza, e assim me apoiar na velha e boa música, dessa vez em Circles, do Drake Bell.

Pouco a pouco vou mudando, vou crescendo. Vou enfrentando meus fantasmas e tentando conviver com o fato de que a vida tem caminhos tortuosos. Daí quem sabe um dia saio desse círculo?

Beijos...

5 comentários:

Leon K. Nunes disse...

Ula-lá, massa a sua postagem, sinceridade pura, você foi ferina consigo mesmo hein, mas não necessarimente agressiva, apenas crua demais... conseguiu transpassar bem a tua sensação de insatisfação, de uma maneira tão eficiente que eu mesmo nem sei o que dizer, apenas fico "de cara", aqui, pensando apenas que o que eu disser seria mero acessório, porque tudo o que tu postou é algo tão pessoal que não cabem mensagens vindas de fora, e eu nem tenho essa pretensão. Infelizmente tô fazendo uma leitura rápida porque tô na faculdade e já vou sair, mas ó, fique peixe, as coisas acontecem por alguma razão que a gente não consegue entender, mas que nem por isso é algo necessariamente negativo... É melhor ser assim, ter vários medos e fraquezas a enfrentar do que ser uma pessoa sem nenhuma coragem... há um célebre personagem que sempre dizia "O Super-homem, meu irmão, que todo mundo pensa ser corajoso e valente, na verdade, não é uma coisa nem outra; o Super-homem é invencível, é imortal, logo, não pode ser corajoso, porque não tem o que perder. Corajosos, sim, são os que se apavoram ou os que fraquejam; estes sim, tem obstáculos a vencer".

Eu não sou bom com conselhos ou mensagens positivas - até porque nem sempre as sigo ou acredito nelas -, mas que assim seja!

Beijos!

Fernanda disse...

Olha aí. Falou de si, diretamente e de forma clara. GOSTEI.
Espero que você consiga vencer seus medos. Eu, sou um pouco o seu oposto. Na verdade gosto de me arriscar. Gosto de mudanças (pra melhor)... e tudo que me leve à rotiva me deixa impaciente. Tirar os pés do chão é o que mais gosto de fazer, tudo que me faça sentir frio na barriga, eu me arrisco. Sinto-me leve, livre... é mágico. Digo que desejo que você vença seus medos, pq não existe nada melhor que descobrir coisas novas e se permitir VIVER. Permita-se. E não sinta medo de críticas também. Aproveite as que lhe fortalece quanto pessoas, e as demais... você joga na lixeira. É divertido! Aposto com você.

Então... vamos pular de bug-jump qualquer dia desse? uhsuhsuhss

Muito obrigada pela visita e volte sempre!! Vou te adicionar também certo? Beijo grande.

adenilson disse...

receber msg verdadeiras pormiincrivel q pareça vm d pessoas q t querem o bm..
amigos...
parentes..
enfim..
medo faz parte.
de perder
de dar errado de etc...


o jeito é arriskar...
o/
messsmo...
linda sua reflexão..parabens


abraço e ótima semana
bocadekabide.blogspot.com

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o que o Leon disse. E tem mais, esse texto parece que foi escrito linha por linha para mim. Identifiquei bastante! Sei lá, mas as vezes tenho a impressão que tenho medo de crescer e deixar certas coisas pra trás. Mas a vida nos obriga a isso e querendo ou não, um dia a gente aprende.

Beijo... adorei!

Anônimo disse...

Perfeita a sua colocação... eu ainda acredito que o amadurecimento, seja com relação aos seus medos ou a qualquer outro desafio, vem com as experiências vividas! Estou certo de que há algum tempo atrás vc nao tinha essa visão da situação, achava suas atitudes normais. O fato de vc admitir seus defeitos é o primeiro passo para corrigi-los, e estou certo de que vc conseguirá!

Parabéns!