sábado, 24 de outubro de 2009

Canção do desamor.

Te ver ir embora me deixa infeliz,
Posto que és um entre mil,
E que ainda te amo,
Sai e deixa meu mundo vazio.

Amor que foi perfeição,
- como o perfume das maçãs -
Foi inspiração que me tirou o sono,
foi começo, meio e fim... foi um talismã.

Amor que não existe mais,
Mas que mudou minha vida,
E me tirou a paz.

Em respeito e amor próprio,
Aceito então o fim,
Pois, talvez, você esteja certo,
Quem sabe seja melhor assim...

Um abraço e força à minha inspiração da vez!

15 comentários:

Desmanche de Celebridades disse...

O nome do blog é perfeito com a relação a tudo que vc escreve. Vc retrata muito bem as contradições que apresenta.
Muito bom o blog.

Felicidade Clandestina. disse...

o amor vai passando pela gente assim,

e o que restam são as lembranças*

e sofro cm algumas até hoje \:

Candy Medina disse...

É né, quem sabe seja melhor assim...

Pamela disse...

Amores vem e vão, sempre é triste o fim, mas sempre é melhor, pq se acaba é pq não era pra ser. Mas o que vale são os bons momentos...
Beijo!

Marcelo Mayer disse...

lembranças hj só servem para a gente escrever. melhor assim!

ótimo!

- maria elis disse...

às vezes até o amor chega ao fim. o jeito é aceitar e seguir em frente :)

beeijas ;*

T disse...

dor

Leon K. Nunes disse...

Eu não entendo as despedidas, nunca entendi, e, naturalmente, não convivo bem com elas. Não sei o que leva pessoas que se amam ao fim, não sei o que levam pessoas que precisam uma da outra a se distanciarem e a aceitarem isso. Claro, com isso não estou defendendo posturas passionais e possessivas que minimizem a liberdade da outra - quem ama, afinal, quer o bem da pessoa amada, e se a amada interpreta que esse bem consiste em alguma outra coisa que não inclua aquele que ama, caberá a ele tão-somente a solidão e as ilusões sobre como poderia ter sido.

Amar, na prática, é a maior manifestação de dar-se que existe. Mas muita gente não atenta pra isso: acha que amar é ter o outro para si, quando é o completo inverso. É aceitar a individualidade e a autonomia do parceiro.

Sobre amorpróprio, não tenho nada a dizer....

E como eu disse no comentário ao post anterior, pensar que não ama mais é um dos grandes equívocos que cometemos... fiqu'esperta: talvez esse "amor que não existe mais" possa te pregar peças no futuro.....

Um beijo... e força a quem quer que seja.

Erica Vittorazzi disse...

Heloísa, no começo dói mesmo... mas, como o tempo cura tudo, depois passa. Vira lembrança boa, recordação e até poema.

bEIJOS

HSLO disse...

Perfeito...esse trecho:

Em respeito e amor próprio,
Aceito então o fim,
Pois, talvez, você esteja certo,
Quem sabe seja melhor assim...



abraços


Hugo

Leandro Martins disse...

foi vc q fez? tá de parabens!!

Kátia Ruivo disse...

como é difícil aceitar o fim como a medida certa a ser tomada...

Denise Marinho disse...

qdo chega o fiim , aceitar é o mais conveninete .. de certa forma é doloroso .. aaah cmo é , mas passa ! se tem uma coisa q eu to aprendendo .. é que tudo passa , inclusive , sentimento ..
amei ameiii :)
beijo , tesigo:)

Thamy disse...

As minhas inspirações vem quando eu estou quase dormindo, e geralmente durmo com elas, e qdo acordo já esqueci.

Os amores sempre mudam a nossa vida..

Lindo texto...

Ahh sei que é super chato fazer propagando, mas estou em blog novo: Função Afim que é quase como um bebê para mim, se quiser vá nos visitar..

Beijos

Quell disse...

Mals, mais quando lii, eu pensei em um samba, por causa do seu pai!

Preciso fala contigo....

Si pá... inspiração da vez foi o M..

Beijomeliga